InícioRegistrar-seConectar-se

Compartilhe | 
 

 RED MOON: prólogo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo 
AutorMensagem
Convidado
Convidado



MensagemAssunto: RED MOON: prólogo   Ter Maio 10, 2016 12:43 pm



SEXTA-FEIRA, 13 de abril




Fazia muito frio naquele ponto de Caxias do Sul. Era verão no Brasil e uma rígida massa de ar polar se instalara no Rio Grande do Sul havia três dias. No meio da estrada estadual em ziguezagues que a cada metro subia mais a serra, sete amigos prosseguiam a jornada até Gramado. Daniel, o mais velho entre eles, era o único a permanecer acordado.
— Ainda faltam uns 60km, guri. Não te afoba, não — respondeu o sisudo motorista à pergunta do carioca.
— Mas nesse ritmo de tartaruga fica difícil, meu camarada — Daniel voltou ao assento, resignado.
Não era permitido aos passageiros, mesmo de um ônibus fretado caindo aos pedaços, conversar com o motorista. Mas a paciência de Daniel já havia se esgotado porque o senhor em questão se dizia contrário a ultrapassar de 60km por hora, além de dirigir sem camisa exibindo uma pança enojante. Enquanto isso, seus amigos dormiam, roncavam e peidavam, totalmente alheios.
— Inferno — sentou-se em seu assento e tentou também cochilar um pouco. Já começava a anoitecer e o frio iria aumentar consideravelmente.
Quando Daniel finalmente começava a ficar sonolento, um estrondo grande chacoalhou todo o ônibus e o grito do motorista, aliado à pancada que o sucedeu, acordou a todos. Eduardo, que estava deitado ocupando duas poltronas, bateu a cabeça no teto. Lukas, que dormia no chão, se chocou com um ferrinho da poltrona à frente. Mas nem ele e nem os outros ocupantes sofreram quaisquer ferimento mais severos.
— Puta que pariu, gordo imbecil! — gritou Daniel para o motorista — Será que não sabe fazer nada direito?
Fumaça saía lá de fora. Quando Matheus, aproximando-se de uma das janelas, viu o que havia acontecido, pensou: estamos fodidos!
O ônibus tinha batido frontalmente em uma árvore e eles estavam, estranhamente, dentro de uma floresta. O motor parecia fatalmente destruído.
— Seu jaguara! O que a gente tá fazendo aqui, fora da RS? — perguntou Edu.
— Sempre que vou pra Gramado, pego um atalho que diminui a distância em pelo menos meia hora. Mas, bah, do nada apareceu um maluco vestindo um capuz, no meio da estrada de barro, e acabei batendo na árvore, ao desviar dele.
— SEU FILHO DUMA PUTA! — Ezequiel era o mais explosivo do grupo. — Minha vontade é esfolar você vivo e colocar na estrada pros javalis comerem.
— Javalis na serra gaúcha, Zeq?
— Ah, Adir, vai pro inferno, vai.
A discussão foi interrompida por alguém que batia na porta.
— Olááá! Estão a me ouvir, gajos?
Todos pensaram: que porra é essa? Mas ao mesmo tempo ficaram assustados. O motorista, Zé Pinhão, foi abrir a porta. Reconheceu o homem: era o maluco que apareceu do nada e fê-lo bater na árvore. Ia dar uns bons cascudos nele. Mas tão logo abriu a porta, viu o sujeito acenando com a mão, pedindo que fosse ouvido.
Os passageiros desceram. Avaliaram os estragos da pancada. Matheus, o que mais entendia de mecânica ali, foi pragmático:
— Nossa única chance é chamarmos um guincho que nos tire daqui ainda hoje, o que vai ser difícil, já que o último povoado considerável antes daqui era Flores da Cunha.
— Tamo tri ferrado, gurizada! — Lukas balançava a cabeça.
— E você, hein, português maluco? Ferrou com nós e fica falando besteira no meio do nada. — Adir não sabia se tinha mais pena ou raiva do rapaz.
A justificativa que o português chamado Luís havia dado quando o motorista abriu a porta foi a de que ele estava ali para caçar um desafeto seu de mais de uma década. Que seguia os seus traços desde a serra catarinense. E o pior: que o dito cujo era um vampiro poderosíssimo!
— Velho, tu se deslocou de Portugal até aqui só pra inventar uma merda dessas? — perguntou Wander, o CDF da turma.
— Éramos originalmente cinco magos poderosos, lá de Leiria, em Portugual. No meu país a praga dos vampiros está controlada há quase um século. Existem alguns, claro, mas nada como no Brasil... Os vampiros de lá não são tão organizados.
A cara de todos ali era de tédio.
— Então, dez anos atrás, viemos de férias conhecer o Brasil. Nem sabíamos sobre a grande presença de monstros aqui. Comemorávamos a derrocada de Dom Guilherme, o vampiro mais forte que Portugal já teve... Estávamos em um pub aqui no Rio Grande do Sul, todos bêbados. Foi quando ele apareceu...
— Ele quem? — começou Ezequiel.
— O... — silêncio.
Luís e também todos os outros fizeram um silêncio inquietante com o som que ouviram.
— Isso foi um lobo uivando? — Matheus perguntou ao ver a lua cheia tomando conta do cenário. A noite finalmente havia caído por completo.
— Não — falou Luís, parecendo que iria dar o fora dali. — Foi um lobisomem, e não é dos comuns.
Todos ali ficaram petrificados.






CONTINUA...
Voltar ao Topo Ir em baixo
Wander

avatar

Mensagens : 278
Data de inscrição : 23/08/2015
Idade : 28
Localização : Itabaiana/Sergipe

MensagemAssunto: Re: RED MOON: prólogo   Ter Maio 10, 2016 1:40 pm

Cara, demais gostei de ver...qnd sai o próximo??
Voltar ao Topo Ir em baixo
Convidado
Convidado



MensagemAssunto: Re: RED MOON: prólogo   Ter Maio 10, 2016 2:17 pm

Muito bom parabéns....


Ps: quando estava chegando no final de ler a historia eu estava jogando Gta v e no jogo estava chovendo e travejando cara deu um bit salto e susto porque o sistema de som esta meio alto e quando deu aquele estrondo da trovoada  ate me arrepiei todo ....
Sad   ....    Smile


Bem nesta parte ...

— O... — silêncio.
Luís e também todos os outros fizeram um silêncio inquietante com o som que ouviram.
— Isso foi um lobo uivando? — Matheus perguntou ao ver a lua cheia tomando conta do cenário. A noite finalmente havia caído por completo.
— Não — falou Luís, parecendo que iria dar o fora dali. — Foi um lobisomem, e não é dos comuns.
Todos ali ficaram petrificados.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Convidado
Convidado



MensagemAssunto: Re: RED MOON: prólogo   Qua Maio 11, 2016 12:21 am

Podemos trocar de nome? Lipe&fatinha? ou Bonie&Cleide (nem lembro se era assim) hahahahaha
mas vamos a caça hahaha
Voltar ao Topo Ir em baixo
Convidado
Convidado



MensagemAssunto: Re: RED MOON: prólogo   Qua Maio 11, 2016 1:17 am

Ps: nome do vampiro para caçar haha
Voltar ao Topo Ir em baixo
Eduardo
Admin
avatar

Mensagens : 483
Data de inscrição : 17/10/2012
Idade : 27
Localização : Santa Maria - RS

MensagemAssunto: Re: RED MOON: prólogo   Qui Maio 12, 2016 5:54 pm

Boa Daniel! Muito top a linha da história, meio clichê o acidente, mas tá valendo hehe

_________________

Eduardo, Administrador do Fórum de Jogos [R.I.P]
Voltar ao Topo Ir em baixo
http://requiescantinpace.forumeiros.com
Convidado
Convidado



MensagemAssunto: Re: RED MOON: prólogo   Qui Maio 19, 2016 8:33 pm

Bah muito bom, mals n ter lido, n loguei no fórum semana passada por isso n sabia, achava q o primeiro ia saie esse find. Mas antes tarde do que nunca. Bom demais msm. "Roncavam e peidavam", ri muito nessa parte. Parabéns
Voltar ao Topo Ir em baixo
Convidado
Convidado



MensagemAssunto: Re: RED MOON: prólogo   Sab Maio 28, 2016 10:14 am

Baah, tinha esquecido de ler o prólogo, bem q achei q a história tinha começado estranha hahaha, gostei Daniel, usando o vocabulário daqui, mas pq a poha de portugueses viriam pro Rio Grande pra comemorar? Partiu Bahia tendel e foguete hauehaue...
Voltar ao Topo Ir em baixo
Conteúdo patrocinado




MensagemAssunto: Re: RED MOON: prólogo   

Voltar ao Topo Ir em baixo
 
RED MOON: prólogo
Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo 
Página 1 de 1
 Tópicos similares
-
» T-Moon Complex X - Fate/Stay Night vs Tsukihime
» Type-Moon Musas Compilation
» Site com o catálogo Scott 2009
» Catálogo Yvert
» [TUTORIAL] Mensagem aparecer no inicio do jogo e logo apos desaparecer...

Permissão deste fórum:Você não pode responder aos tópicos neste fórum
[R.I.P] Requiescant In Pace :: Red Moon-
Ir para: