InícioRegistrar-seConectar-se

Compartilhe | 
 

 ZEUS CHAPTER 15: A Amizade que Faz Renascer o Caranguejo Dourado

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo 
AutorMensagem
Convidado
Convidado



MensagemAssunto: ZEUS CHAPTER 15: A Amizade que Faz Renascer o Caranguejo Dourado   Sab Fev 13, 2016 9:09 am

A AMIZADE QUE FAZ RENASCER O CARANGUEJO DOURADO







       O coração de Seiya não entendia. Por que Atena tinha aqueles olhos rubros e por que dizia aquelas coisas?
— Saoriiii, o que está dizendo? Viemos até o Olimpo para salvar você e a Terra.



— Saori? Sou a Deusa Atena, inseto! E estou aqui para acabar com qualquer humano que se rebelar contra os Deuses.
— Hahahahaaha! Desista, Sagitário! — uma outra voz de mulher surgiu.
Seiya ficou em posição de combate.
— Quem é você?



— Eu sou a Deusa Hera. Sagitário, Atena caiu em desgraça com o meu golpe do leque místico. Agora ela faz tudo conforme as minhas ordens. Ou seja: pra ela, você não passa de um inimigo desconhecido que precisa ser vencido. Não adiantar tentar relembrá-la dos patéticos combates que vocês fizeram juntos. É inútil!
— S-saori.
— Cale-seeeeeeeeeeee! — Atena atacou com o seu báculo e fez Seiya voar para longe.



NÃO MUITO DISTANTE


— Vocês Deuses são muito repetitivos. Sempre tentando nos dissuadir. Pois ouça bem, Deus do fogo e das forjas, Hefesto, matarei você aqui mesmooooooooooo! UIVO MORTAAAAAAAAAAL!!!!!!!!!
Contudo, Hefesto nem mesmo se moveu. O golpe se voltou contra Eduardo, que foi nocauteado. Kiki, que a tudo assistia, se preparou para entrar em ação.
— EXTINÇÃO ESTELAAAAAAAAR!!!!!
Daquela vez, Hefesto, em vez de ficar parado, foi andando na direção do golpe de Kiki, e sumiu.
— Funcionou!!! — vibrou o cavaleiro de ouro.
No entanto, segundos depois o Deus reapareceu.
— Hahaha! O seu golpe é muito inocente, meu rapaz. Você envia o cavaleiro que cai nele ao mundo dos mortos, não é? Pois isso não funcionará contra um Deus, eu lhe garanto. Além do mais, foi bom revisitar o inferno. Pena que meu tio Hades já esteja morto, hahahaha!
Kiki ficou impressionado com o poder daquele Olimpiano. Eduardo, mais irritado, não pôde aceitar a provocação e investiu novamente: PATADA DO EXTERMÍNIOOOOOOOOOO!!!!!
Porém, o resultado foi igual: o lobo foi jogado longe com o golpe que voltou contra si.
— Você não é capaz de respeitar a luta alheia? Veja bem, inseto, estou lutando contra o cavaleiro de ouro aqui. Sua força é tão desprezível que nem o considero meu inimigo, entendeu?
— NUNCAAAA! Um cavaleiro de Atena nunca, nunca se rende. Lutamos e vencemos os cavaleiros dourados negros e depois os planetários, tudo pra chegarmos até aqui! Não nos daremos por vencidos!
— Ora, ora, insignificante cavaleirinho de bronze. Está mesmo me comparando a vermes repulsivos que vocês derrotaram antes? — Hefesto riu. — ESSA BLASFÊMIA PRECISA SER PAGA COM A SUA MORTEEE!
O gigantesco cosmo de Hefesto inflou.
— Essa não! Eduardo, fujaaaaa! — Kiki se lançou à frente do cavaleiro de bronze já com a armadura rachada.
— INFINDÁVEL ERUPÇÃÃÃÃOOOOOOO!!!!! — um mar imenso de lava se formou e avançou contra Kiki e Eduardo. A rajada foi tamanha que rachou a armadura de áries em várias partes e fez a armadura do lobo sumir.
Eduardo, desacordado, e Kiki, muito ferido, nada podiam fazer diante do imensurável poder divino.




ATENA VS SEIYA

Apesar da insistência do Sagitário, Atena já o havia atacado diversas vezes. Incapaz de erguer seus punhos contra ela, Seiya tornava-se um alvo fácil.
— Ahahaha! Admito que me diverte muito ver Atena destruir você assim tão indefeso, humano idiota...
— C-cale a boca, sua Deusa maldita. — falou Seiya, com o cosmo enfraquecido.

        

— Atena, dê o golpe final nesse pobre coitado. Ele já perdeu o espírito de luta.
Atena, que tinha a mente controlada por Hera, se aproximou de Seiya para destruí-lo de vez.
— Por favor, Saori; não faça isso... Você não odeia os humanos.
— Morraaaaaaaa! — sem qualquer clemência, Atena ergueu o báculo e se preparou para cravá-lo no peito de Seiya, foi quando...
— METEORO DE PÉGASUUUUUUUUUUUUUS!!!!!
Atena perdeu o equilíbrio ao ser atingida por mais de 100 raios velozes.
— O quê? — Hera viu que não fora Seiya quem desferiu o golpe.
Seiya, incrédulo e feliz ao mesmo tempo, não conteve o sorriso ao ver aquele jovem rapaz surgir providencialmente.

   

— Eu sou Matheus de Pégaso! Não sei quem você é, mas não deixarei que controle Atena e mate o Seiya. Ele é um ídolo pra mim! Trarei Atena de volta para a justiça, custe o que custar!
— Vermezinho miserável... — Hera viu que teria mais trabalho do que supunha.





O OUTRO COMBATE

Kiki se levantou, com dificuldade.
— Admito que sua força é a maior que já enfrentei em combate. Mas o meu mestre Mu me ensinou que não existe luta ganha sem antes derrubarmos a última gota de sangue e de suor. Lutarei com TODAS as minhas forças!
— Você não me intimida, cavaleiro de ouro. Pode vir...
— Está bem, então! Aaaaaaaaaah!!!!
Hefesto continuava se divertindo com sua supremacia em relação ao inimigo mortal.
— REVOLUÇÃO ESTELAAAAAAAAAAR!!!!!!!

       

Nem mesmo Hefesto esperava que aquele golpe pudesse ser tão poderoso. Pela primeira vez a pose de Deus indestrutível ruiu e ele não foi capaz de conter aquele golpe originalmente criado por Avenir de Áries, de três gerações passadas.
— Funcionou!
Hefesto, sangrando, foi se levantando com dificuldade.
— Confesso que esse golpe me surpreendeu bastante, meu rapaz. Não esperava ser ferido por um reles humano. Mas você acha que me venceu só com isso?
Kiki cerrou os dentes. Achava que os danos causados seriam maiores.
— Você teve a chance de me derrotar, mas falhou; agora é a minha vez! — mais uma vez, aquele cosmo absurdo, que transbordava.
— Mestre Um, parece que esse é o meu fim... — sibilou Kiki, sentindo-se indefeso pela primeira vez desde que se tornou um cavaleiro.
— INFINDÁVEL ERUPÇÃOOOOOOOOO!!!
O calor supremo devastou Kiki brutalmente. O cavaleiro de ouro só não virou poeira cósmica por estar sendo protegido pela sagrada armadura de áries, mas seu corpo ficou em um estado deplorável.
— Bom, acho que já é hora de retornar ao palácio de meu pai e informá-lo que um dos cavaleiros de ouro já foi morto. — Hefesto se preparava para se teletransportar quando alguém falou com ele.
— E eu?
— O quê?
— V-você – começou Edu, se levantando com sofreguidão. — Você nem ao menos falaria a Zeus que me matou também? Me ignora completamente assim?
— Ora, ora, então você ainda está vivo, lobo. Olha, eu disse a você que insignificantes cavaleiros de bronze não são rivais para mim. Então é claro que eu nem conto você, seu rato.
Eduardo se levantou, com o cosmo ardendo de ódio.
— Pois eu vou lhe mostrar que não se brinca com a determinação de um ser humano! AAAAAAAAAAAAAAAAAH!!!!!!!! — elevou o seu cosmo até os confins. O máximo que seu corpo poderia suportar.
Hefesto fechou os olhos.
— PATADA DO EXTERMÍNIOOOOOOOO!!!!
O Deus permaneceu parado, de olhos fechados, e tentou voltar o golpe contra o cavaleiro de bronze, mas o cosmo envolvido era tão grande que ele não conseguiu. Além disso, uma pequena fração do golpe atingiu o rosto de Hefesto, causando-lhe um pequeno arranhão.
— U-um arranhão? Só isso?
— Considere-se sortudo, garoto. Um arranhão é muito mais do que eu esperava de você. Bom, já é hora de morrer, então. Por respeitar o seu esforço em me arranhar, liquidarei você rapidamente, sem sofrimento. Que tal?
— Ah, aceitarei sua cortesia. Já não me restou mais cosmo nem para me mover. Pode acabar comigo... — Eduardo ficou de joelhos e fechou os olhos.
— Adeus!
— PAREEEEEEEEEE!!!!
Mais alguém entrou no meio da luta, e não era o desacordado Kiki de Áries.

   

— Eu, Luís de Hidra, não vou permitir que você mate o meu amigo!
Edu caiu, exausto e acabado.
— Já estou ficando de saco cheio de lutar contra seres ínfimos como vocês... Mas tudo bem, mostre-me do que é capaz.
— GARRAAAAS DE HIDRAAAAAA!
As garras cortaram o ar, mas não atingiram Hefesto. Ele ficou parado, sem entender direito.
— É sério? É só isso? Confesso que estou constrangido.
O Deus das forjas abriu os braços e raios vermelhos despedaçaram a armadura de hidra instantaneamente.
— Me dá pena ver alguém chegar aqui tão confiante com tão pouca força. O áries era o único que valia algum esfor... O quê?
Enquanto falava, Hefesto se surpreendeu com o que Luís fazia naquele momento. Ele se aproveitou da distração do Deus para se aproximar de Eduardo. Tocando em seu peito, enviou uma espécie de onda de cosmo.
— O que pensa que está fazendo? Uma última oração pelo amigo morto?
— Ele ainda não morreu! Você adora zombar de nós, mas o idiota agora foi você! — AAAAAAAAAAAAAAAAAAH!
O cosmo de Luís cresceu, mais e mais. Hefesto ficou parado; não entendia nada.
Luís caiu desmaiado.
— Tentou enviar o cosmo pro amigo e morreu junto? Ahahahahahahahaha! MAS ISSO É MUITO, MAS MUITO PATÉTICO! — Hefesto se divertia.
— Esse cavaleiro de quem você zomba é um gênio...
— Áries? Ainda vivo?
— Não é preciso ser um Deus pra entender o que aconteceu. A amizade entre os humanos pode ser tão preciosa que nem um Deus consegue entender.
Eu não estava morto?
— Eu já tinha ouvido falar sobre esse golpe do Hidra. Ele mesmo o desenvolveu. Foi um garoto que teve um mestre muito fraco. Ele tem a capacidade de elevar seu cosmo em um nível tão brutal que expande os limites da vida e da morte e numa simbiose perfeita com sua constelação guardiã, ganha sete vidas. Mas o que ele fez aqui foi dar vida a um amigo quase morto. Daí a pressa em ele ter usado o golpe para salvar o Lobo, que estava à beira da morte. O golpe dele é fantástico, mas não ressuscitaria alguém.
— Você está me dizendo que ele foi atingido de propósito para simular uma derrota e assim ganhar tempo pra salvar o amigo?
Morto? Eu seguia por um túnel negro, mas agora minhas forças parecem totalmente recompostas. Nunca me senti mais vivo. Preciso abrir os olhos”. — o coração de Eduardo pulsava com uma intensidade cada vez maior.
— Exatamente, Hefesto! É assim que são os humanos.
— Seu miser... — a fala de Hefesto foi atrapalhada por um cosmo titânico que subiu aos céus cortando as estrelas.
— IRROMPA TODOS OS LIMITES DA COMPREENSÃO HUMANA, MEU COSMO! FAÇA O SACRIFÍCIO DO MEU AMIGO NÃO SER EM VÃOOOOOOO! AUMENTEEEEEEEEEEE! AUMENTE MAISSSSSSSS!
E o cosmo de Eduardo, já de pé, irradiava cada vez mais.


TRILHA




Um raio amarelado invadiu o céu, cortando todo o Olimpo. A uma velocidade assustadora, o raio parou acima da cabeça de Eduardo, que vestia apenas sua roupa rasgada, ainda aumentando o seu cosmo. Atônito, mas de uma forma maravilhada, ele olhou para aquilo que pairava diante de si.
— I-isso é...
Kiki e Hefesto também estavam incrédulos.






















       

— Formidável, Eduardo. O seu cosmo ascendeu de maneira tão espetacular que entrou em ressonância com o seu signo guardião. A armadura lhe escolheu como o sucessor do Máscara da Morte. — vibrou Kiki.
— Mas como esse verme? — Hefesto ainda não acreditava.
Luís, abrindo os olhos aos poucos, ainda se recuperando de ter perdido outra vida, sorriu ainda deitado no chão. E a armadura dourada de câncer e seu novo cavaleiro protetor foram de encontro um ao outro.

       

Nascia Eduardo, o cavaleiro de ouro de câncer. Ele respirou fundo, ainda irradiando um cosmo absurdo, e disse, fuzilando Hefesto com seu olhar:
— Está na hora de finalizarmos nossa luta!






CONTINUA...


Última edição por Daniel em Seg Fev 15, 2016 8:50 am, editado 1 vez(es)
Voltar ao Topo Ir em baixo
Convidado
Convidado



MensagemAssunto: Re: ZEUS CHAPTER 15: A Amizade que Faz Renascer o Caranguejo Dourado   Sab Fev 13, 2016 10:10 am

Muito boa de verdade já fazia tempo que não me emocionava, lendo um capitulo desde os primeiros admito que
fiquei com aquele suspense no coração, quando cheguei a parte em que eu sacrifiquei uma das minha vidas para salvar um amigo Eduardo cavaleiro e lobo a cada capitulo que vai chegando o final fico mais feliz pois sei que próximo do fim morrerei mas lutarei ate meu ultimo suspiro ate que não me restem mais vidas, e melhor morrerei sabendo que sacrificarei minha vida para dar a Vitoria aos meus amigos Wink tenho que admitir que não esperava por essa não neste capitulo mas sim no final se eu chegar lá mas como já aconteceu aqui neste só me resta esperar algo memorável algo surpreendente quando me restar a ultima vida me surpreende Daniel parabéns pelo magnifico capitulo.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Convidado
Convidado



MensagemAssunto: Re: ZEUS CHAPTER 15: A Amizade que Faz Renascer o Caranguejo Dourado   Sab Fev 13, 2016 10:16 am

Lembrando que a cada capitulo a própria força de vontade dos meus amigos aqui me surpreende pois nunca desistem de tentar vencer mesmo quando parece impossível sempre acontece um milagre fiquei contente sabendo que o Eduardo cavaleiro de lobo tentando de tudo para conseguir acertar o inimigo assim que se faz nunca se desiste hehehehehhehe
Voltar ao Topo Ir em baixo
Eduardo
Admin
avatar

Mensagens : 483
Data de inscrição : 17/10/2012
Idade : 27
Localização : Santa Maria - RS

MensagemAssunto: Re: ZEUS CHAPTER 15: A Amizade que Faz Renascer o Caranguejo Dourado   Sab Fev 13, 2016 8:50 pm

Após uma lista imensa, grande mesmo de palavrões que eu gostaria de dizer, terminando em MUITO FODA, parabéns Daniel! Matou a pau esse capítulo! Calafrios até. MUUUUUUITO TOP, está de parabéns pelo mais que perfeito capítulo.

Muito legal o Luis vir e dar uma sobrevida! cheers

Querendo ler mais uns 800 capítulos kkk

_________________

Eduardo, Administrador do Fórum de Jogos [R.I.P]
Voltar ao Topo Ir em baixo
http://requiescantinpace.forumeiros.com
Convidado
Convidado



MensagemAssunto: Re: ZEUS CHAPTER 15: A Amizade que Faz Renascer o Caranguejo Dourado   Sab Fev 13, 2016 9:41 pm

HEHEHEHEHE nem eu esperava por um sacrifício desse tamanho e de tão glorioso e cheio de confiança me apresentei
diante do meu inimigo para poder salvar o GRANDE CAVALEIRO DE LOBO que tanto tentou acertar o inimigo mas não conseguindo infelizmente o que tal criador do capitulo e tal o próprio personagem cavaleiro de lobo e como o próprio comentador Eduardo escreveu faltou vontade de dizer tamanhos palavrões terminado com Muito Foda kkkkkkkkk

Sem esquecer que também temos o implacável Matheus que vendo seu amigo Seiya não tendo forças para atacar a  própria deusa atena  ganhou tamanha coragem e lançou o seu grandioso  METEORO DE PÉGASUUUUUUUUUUUUUS!!!!!  Wink  
e cheio de si falou sem piedade alguma  (  Eu sou Matheus de Pégaso! Não sei quem você é, mas não deixarei que controle Atena e mate o Seiya. Ele é um ídolo pra mim! Trarei Atena de volta para a justiça, custe o que custar! )

Mas com certeza este terá sido um capitulo dedicado o Eduardo que qua.se perdeu sua vida lutando kkkkk

PARABÉNS DANIEL
Voltar ao Topo Ir em baixo
Wander

avatar

Mensagens : 278
Data de inscrição : 23/08/2015
Idade : 28
Localização : Itabaiana/Sergipe

MensagemAssunto: Re: ZEUS CHAPTER 15: A Amizade que Faz Renascer o Caranguejo Dourado   Dom Fev 14, 2016 12:10 am

Daniel vc ta demais, Luis ta muito foda, Edu agr de Gold, tem pra ninguem nao...kkkkkkkkkk
Voltar ao Topo Ir em baixo
Convidado
Convidado



MensagemAssunto: historia   Dom Fev 14, 2016 2:45 am

só poderei ler na segunda não estou em casa ! e lerei com mais atencao e comento.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Convidado
Convidado



MensagemAssunto: Re: ZEUS CHAPTER 15: A Amizade que Faz Renascer o Caranguejo Dourado   Seg Fev 15, 2016 6:18 pm

Baaaaah, capítulo tooop, achei q o hefesto já tinha ferrado e daí aparece o Luis pra ferrar com ele... Edu com armadura nova quero ver hefesto guentar o tranco agora... Parabéns Daniel, capítulo bem elaborado, com emoção e qualidade, texto ficou top...

Obs: as imagens estão ficando melhores com o desenvolver da história Wink
Voltar ao Topo Ir em baixo
Conteúdo patrocinado




MensagemAssunto: Re: ZEUS CHAPTER 15: A Amizade que Faz Renascer o Caranguejo Dourado   

Voltar ao Topo Ir em baixo
 
ZEUS CHAPTER 15: A Amizade que Faz Renascer o Caranguejo Dourado
Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo 
Página 1 de 1
 Tópicos similares
-
» 50 Anos do Voo da Amizade TAP - PANAIR
» namoro ou amizade
» [Review] God of War III
» [Geek Topic]Mitologia
» Amizade - Impossivel ser feliz sozinho

Permissão deste fórum:Você não pode responder aos tópicos neste fórum
[R.I.P] Requiescant In Pace :: CDZ-
Ir para: