InícioRegistrar-seConectar-se

Compartilhe | 
 

 ZEUS CHAPTER 12: Dragões, Invadam os Céus do Infinito!!!

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo 
AutorMensagem
Convidado
Convidado



MensagemAssunto: ZEUS CHAPTER 12: Dragões, Invadam os Céus do Infinito!!!   Ter Jan 12, 2016 7:37 pm

DRAGÕES, INVADAM OS CÉUS DO INFINITO!!!











PALÁCIO DE ZEUS


— Minhas amadas filha e esposa irão lutar irremediavelmente até a morte... Essa era a última coisa que eu desejava. — comentou o Deus dos relâmpagos.

— Papai, já está na hora de acreditarmos um pouco mais em Atena.
— O que quer dizer, Dionísio? - quis saber Zeus ao ver o filho entrando em seu palácio.

— Vimos Hades e Poseidon se rebelarem contra Atena e os terráqueos dezenas de vezes, não é mesmo? Não sou hipócrita em dizer que não achei divertido tantas e tantas batalhas. Me diverte muito ver o ímpeto de tão frágeis humanos... Mas acontece que através dos séculos eles sempre resistiram e eliminaram os exércitos dos meus queridos tios.
— Você pretende entrar nessa guerra ao lado de sua irmã?
— Ahahaha! Papai, não seja tolo! Não sou um maníaco como Ares. Prefiro me abster desse tipo de selvageria. Apenas beberei o meu vinho e ao final da luta o vencedor provará ser a justiça, não concorda? — Dionísio mantinha sempre o ar de sarcasmo.
— Fiquei de fora por muito tempo, mas... Atena passou dos limites. Prefiro eu mesmo, se for o caso, dar a lição que ela merece. A Terra está podre e um recomeço pode ser a única solução.
— Bom, voltarei ao meu palácio e observarei essa tão emocionante luta — ao término da frase, Dionísio desapareceu, teletransportando-se.


CAMPO DE BATALHA

Hera atacou usando o leque místico; o objeto, se acertasse o oponente, manipularia-o cada vez mais, fazendo o alvo agir de acordo com as vontades da Deusa. Era o poder da Deusa da Fertilidade e do Casamento. Hera odiava traições e considerava Atena uma bastarda arrogante. Atena, astuta, se defendeu com o seu grande escudo. Usou o seu báculo contra Hera, mas a Deusa conteve o ataque usando apenas as mãos.
— Pequena infeliz, acha que vai me derrotar facilmente assim? Sou muito mais velha e poderosa do que você! Meu filho Ares sempre a detestou e seu pai ficou contra ele. Meu pobre filho, que só queria limpar a humanidade de pessoas maléficas e dar à Terra uma nova chance. Agora, Atena, que seu pai finalmente caiu em si, ANIQUILAREI sua existência! — o magnânimo cosmo da Deusa milenar se elevou de maneira espetacular.


TEMPLO DE SATURNO

— Ora, finalmente um templo com temperatura agradável — disse Daniel ao ver o seu adversário.
— Obrigado, meu rapaz. Então veio para lutar, não é?
— O que acha? Que saí da minha casa pra brincar com você, palhaço? — a paciência não era um dos fortes de Daniel de cisne.
— Ora, ora. Ficou nervosinho. Tudo bem, tudo bem... Eu, Djurko de Saturno, mandarei você para o Tártaros.

— Vocês sempre com a mesma conversa. Não encha o sacoooo! PÓ DE DIAMAAAANTEEEEE!
Saturno saltou e evitou o golpe com os braços cruzados.
— Se toda sua força se resume a esse patético ar frio, morraaaaa! ANEIS CONSTRITOREEES!!!
Se Daniel esperava poderes do gelo, por estar em um templo cuja temperatura era abaixo de zero, se enganou. Em vez disso, sentiu anéis invisíveis apertarem-lhe como se fossem sucuris ávidas por um javali suculento. Quanto mais tentava se soltar, menos ar tinha para respirar. Djurko, impassível, apenas via seu inimigo praticamente ser esmagado com um só golpe. Daniel, então, perdeu a consciência.
— Esse lixo humano aparece aqui, todo arrogante... E eu pensando que ao menos me divertiria.
Djurko não sentia muito prazer em acabar com um cavaleiro de Atena. O seu mestre e os mestres dos outros planetários eram inimigos mortais. A causa dos Olimpianos irritava o cavaleiro de Saturno. Mas se o cisne aparecia em sua frente tão presunçosamente, só havia um jeito de pôr um fim àquilo...
— Adeus, cavaleirinho de cisne — preparou o golpe final para o guerreiro já desacordado.
— ESPERE! — era mais de uma voz.
— Vocês são...






— Nós somos... — todos juntos começaram, vibrantes — OS CAVALEEEEIROS DE ATEEENAAAA!!!!!!!!!! — concluíram, deixando Saturno estarrecido.




— C-como pode todos estarem vivos, se enfrentarem antes quatro planetários até esse templo?
— Ora, nós não podemos perder até alcançarmos Atena e acertarmos as contas com todos os Deuses do Olimpo. — disse Matheus de Pégaso.
— Então vocês também odeiam os Deuses do Olimpo? Interessante...
— Interessante por quê? — quis saber o curioso Luís.
— Bem, sou pupilo do maior dos Titãs, Cronos, e não dos Olimpianos. Cronos deveria continuar ocupando um posto no Olimpo, mas foi banido para o Tártaros pelo seu próprio filho Zeus. Nada mais justo do que vocês terem a sua vingança.
— Está falando sério? Vai nos deixar passar? — estranhou Lukas.
— Eu não disse isso. Será divertido testar a força de todos vocês ao mesmo tempo. Sinto-me entediado aqui nesse santuário, cercado por idiotas. Mas estou preso aqui há séculos. Talvez, se tiverem forças, eu seja vencido por quem realmente merece. Atena pode ser a justiça.
— Então liquidaremos você aqui mesmo — falou Zeq.
— Não se intrometam! — Daniel, surpreendentemente, se levantou. — Não disse que preciso da ajuda de vocês pra vencer esse imbecil. Vão para os templos adiante. Atena está lutando sozinha, esqueceram?
— Mas Daniel...
— Já disse para irem embora, Ednael! E também os outros. Agradeço por terem salvado a minha vida, mas não sou um inútil que será morto por um reles planetário.
Os outros cavaleiros hesitaram um pouco, mas concordaram com o cisne e seguiram adiante. Haviam se encontrado com os cavaleiros de ouro em templos anteriores, e fortificaram a vontade de lidar sozinhos com as lutas no Santuário Galáctico. Honrariam os seus mestres dourados. Daniel ficou sozinho para lutar contra Djurko.
— Djurko de Saturno, admito que subestimei sua força. Mas garanto que isso não vai mais acontecer. Voeeeeee, cisneeeeeeeeeeeeee! TROVÃO AURORA, ATAQUEEEEEEEE!!!!!!!!
Daquela vez, Saturno foi incapaz de impedir o ataque gélido do cavaleiro de bronze. Foi jogado e quase perdeu os sentidos.
— É, você é melhor do que eu pensava. Por que não lutou assim desde o começo? Vocês humanos são extremamente prepotentes. Veja, cisne, como é enfrentar seu adversário peito a peito. — o cosmo de Saturno inflou. ANEIS CONSTRITOREEEEES!!!!
Mesmo sendo atingido pela segunda vez, Daniel não foi capaz de se safar dos anéis invisíveis. À medida que se debatia, mais os anéis o apertavam. Parecia inútil resistir.
— Desista, cisne. Se admitir sua inferioridade, eu o deixo viver. Sou inimigo do seu inimigo, esqueceu?
Mas a mente de Daniel estava longe dali. Concentrava-se nos ensinamentos de seu mestre Hyoga. Lembrava-se de como fora árduo obter a armadura de cisne. Não poderia fraquejar. Não ali!


— EXPLODAAAAA, COSMO DO CISNEEEEEE!!!!

— M-mas como pode? — Djurko nada pôde fazer ao ver Daniel de cisne elevando o cosmo e conjurando o seu golpe elevado no sétimo sentido.
— TROVÃO AURORA, ATAQUEEEEEEEEEE!!!!!!!!!!
Djurko voou até quebrar o teto de seu templo e despedaçou seu crânio e sua armadura no solo. Antes de morrer, disse:
— E-excelente tra... balho, garoto... Os Olimpianos merecem... mor... — mas não concluiu a frase.
— Aprendi muito com você hoje, Saturno. Obrigado! — Daniel se dirigiu ao templo seguinte, que era o de:



TEMPLO DE URANO

       Os seis cavaleiros de bronze e Ezequiel de Perseu adentraram no antepenúltimo templo vibrando, com a energia da juventude resplandecente. Quem quer que fosse entrar em seu caminho, seria dizimado. Quando o guardião apareceu, tentando detê-los, foi atingindo em cheio por vários golpes simultâneos. O trato é que apenas um ficaria ali para a luta. Coube a Ednael de Dragão permanecer no sétimo templo. O Planetário limpou o sangue na face e, irritado, se apresentou, vendo os demais cavaleiros seguirem para o templo de Netuno.
      — Bando de idiotas! Sou Kraa de Urano. Dragão, aqui será o seu túmulo!

      — Veja bem, cavaleiro. Nós evoluímos muito nas batalhas que tivemos recentemente. Atingimos e controlamos o sétimo sentido e graças à confiança dos cavaleiros de ouro nós estamos prontos para acabarmos com os três planetários restantes e depois matarmos TODOS os Deuses do Olimpo. — disse Ednael, esbanjando confiança.
      — Hahahahaha! Vocês vencerão os Deuses? Vou lhe dizer uma coisa, verme. De todos os planetários atuais, EU sou o mais antigo! Enquanto meus companheiros são humanos treinados por Deuses, eu sou um semideus desde o meu nascimento. Fui o braço direito do maior Deus Primordial, pai do Titã Cronos.
Mesmo com toda a confiança esbanjada, Ednael ficou perplexo ao saber daquilo.
      — Você é pupilo do Deus do céu, Urano? Que se casou com Gaia e teve Cronos como filho? É-é inacreditável. Isso aconteceu há milhões de anos.

      — Ora, é tarde demais para se dar conta do meu grande poder e de nossas diferenças, inseto rastejante.
      — Você não entendeu. Não estou impressionado e com medo de você. Tô muito empolgado em poder matar alguém que viveu na época dos dinossauros.
      Kraa enrubesceu de raiva.
      — Como ousa brincar com uma divindade do meu nível?
      — Pode vir quente que estou fervendo, amigão!
      — Gravidade Explosivaaaaa!!!
      Em vez de uma onda de poder liquidar com Ednael, o que aconteceu foi que o templo ficou subitamente mais pesado. Até se mover tornara-se complicado para o cavaleiro de dragão.
      — O que foi, dragão? Não consegue falar? As piadinhas acabaram? Hahahaha!


UM POUCO MAIS ADIANTE

      — Amigos, quando chegarmos em Netuno, eu lutarei.
      — Você já se recuperou da luta contra o Mercúrio, Lukas?
      — Já, Wander. Preciso me exercitar um pouco.
      — Está certo. Nós seguiremos para Plutão, pra podermos abrir o portal que nos levará até o Olimpo.


URANO

     — Porcaria. Não consigo... me mexer direito.
     — Hahaha! Acho é pouco, verme. Agora, dragão, nada te salvará. O verdadeiro poder de Uranooooo! — o cosmo se elevou. — CHOQUE DE ASTEROIDES BIÔNICOOOOS!!!!!!

     Ednael virou refém do próprio corpo pesado e caiu bruscamente nos pilares, sentindo seus ossos praticamente ruírem.
     — Inferno... Estava pronto para lutar contra cavaleiros de ouro, mas me mandaram um pobre coitado desse nível deplorável.



TEMPLO DE NETUNO

     — Pessoal, vão embora. Eu lutarei contra esse cavaleiro — falou Lukas.
     — Confiamos em você, amigo! — e todos foram adiante, ignorando a presença do planetário parado diante deles.
     — Cavaleiro de Andrômeda, acha mesmo que me vencerá?
     — Em menos de cinco minutos.


URANO

     — Bom, dragão, isso é um adeus! — Kraa se preparou para o golpe final.
     Ednael, incapaz de se mover, apenas fechou os olhos e aguardou a morte certa.
     No entanto, um golpe certeiro de espada cortou a face de Kraa. Desnorteado, viu o autor da façanha e os demais cavaleiros que o seguiam.

     Ednael, vendo seu mestre dizendo aquelas palavras duras na frente de seu adversário e dos outros cavaleiros de ouro, sentiu-se humilhado.
     — M-mestre. Peço perdão. O golpe dele me pegou de jeito...
     — Libra idiota, você me irritou. Não venha me pedir desculpas. Prefiro mesmo lutar contra alguém como você; um cavaleiro de ouro. Defenda-se: CHOQUE DE ASTEROIDES BIÔNICOOOOS!!!!
     Shiryu se defendeu do golpe de Urano apenas com uma das mãos.
     — Já me desculpei por interromper a luta. Estávamos de passagem. Nossa missão não é aqui nessa dimensão. Vamos embora, Seiya.
     Seiya e os outros voltaram a correr. Shiryu não ousou olhar nos olhos de seu pupilo, humilhado. Sabia que seria pior para ele. O discípulo, agradecido, tratou de elevar o seu cosmo e parar de choramingar.
     — Onde pensam que vão, cavaleiros de ourooooooo?
     Mas o gigantesco cosmo do dragão subiu aos céus, chamando de volta a atenção de Kraa.
     — Meu mestre é um grande homem, Kraa. Como você ousa tentar feri-lo?
     — Mas como pode já estar recuperado e se movendo?
     — Ainda não consigo me mover com a velocidade que gostaria, mas... Posso aplicar esse último golpe.
     — O quê? Mas isso é? — Urano ficou boquiaberto ao ver centenas de dragões rasgando o céu com o golpe supremo de Ednael.
     — CÓLERAAAA DOS CEM DRAGÕEEEEEES!!!!!
     Pulverizado. O Planetário que se gabava por ser pupilo do primeiro grande Deus da história, jazia inerte e despedaçado pelos cem dragões de Rozan.




TEMPLO DE PLUTÃO

     Quando Eduardo e os outros cavaleiros finalmente chegaram no último dos nove templos galácticos, que era o lugar que os separava do portal até o Olimpo, se depararam com o último dos Planetários sofrendo de algum mal que o corroía por dentro. Mas o que poderia estar acontecendo com aquele cavaleiro?






CONTINUA...


Última edição por Daniel em Seg Jan 18, 2016 8:00 pm, editado 1 vez(es)
Voltar ao Topo Ir em baixo
Eduardo
Admin
avatar

Mensagens : 483
Data de inscrição : 17/10/2012
Idade : 27
Localização : Santa Maria - RS

MensagemAssunto: Re: ZEUS CHAPTER 12: Dragões, Invadam os Céus do Infinito!!!   Dom Jan 17, 2016 9:46 pm

De fundamento! cheers cheers

Está muito divertida a história e bem curiosa... hehe

_________________

Eduardo, Administrador do Fórum de Jogos [R.I.P]
Voltar ao Topo Ir em baixo
http://requiescantinpace.forumeiros.com
Convidado
Convidado



MensagemAssunto: Re: ZEUS CHAPTER 12: Dragões, Invadam os Céus do Infinito!!!   Dom Jan 17, 2016 10:04 pm

Shooow, ficou top de novo.... Achei que já teríamos um pouco mais da luta da atena nesse...
Obs: edu ficou engraçado na armadura haha e a fotinho do ed... Haha
Voltar ao Topo Ir em baixo
Wander

avatar

Mensagens : 278
Data de inscrição : 23/08/2015
Idade : 28
Localização : Itabaiana/Sergipe

MensagemAssunto: Re: ZEUS CHAPTER 12: Dragões, Invadam os Céus do Infinito!!!   Dom Jan 17, 2016 10:39 pm

Homi, quero meter cacete kkkkkk...tá muito legal a história..
Voltar ao Topo Ir em baixo
Convidado
Convidado



MensagemAssunto: Re: ZEUS CHAPTER 12: Dragões, Invadam os Céus do Infinito!!!   Seg Jan 18, 2016 12:29 am

Está demais a história, showzasso msm.
E as caricaturas como sempre engraçadas
Edu mitando kkkkkkkkkkkkkkk.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Convidado
Convidado



MensagemAssunto: Re: ZEUS CHAPTER 12: Dragões, Invadam os Céus do Infinito!!!   Seg Jan 18, 2016 7:21 pm

Caracas, eu vacilei no começo, mas o final foi espetacular... A história esta realmente muito boa e cada vez faz a gente querer mais.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Convidado
Convidado



MensagemAssunto: cap 12   Seg Jan 18, 2016 8:36 pm

Vou ter que me desdobrar pra nao perder post proxima luta é eu haha

muito loca nao vejo a hora de chega sabado kkkkk (vou ficar no seu pe Edu pra publicar kkkk
Voltar ao Topo Ir em baixo
Convidado
Convidado



MensagemAssunto: Re: ZEUS CHAPTER 12: Dragões, Invadam os Céus do Infinito!!!   Ter Jan 19, 2016 6:38 am

Edu só nas raves sábado à noite, kkkkk.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Eduardo
Admin
avatar

Mensagens : 483
Data de inscrição : 17/10/2012
Idade : 27
Localização : Santa Maria - RS

MensagemAssunto: Re: ZEUS CHAPTER 12: Dragões, Invadam os Céus do Infinito!!!   Ter Jan 19, 2016 9:05 am

affraid que isso gente... lol!

_________________

Eduardo, Administrador do Fórum de Jogos [R.I.P]
Voltar ao Topo Ir em baixo
http://requiescantinpace.forumeiros.com
Convidado
Convidado



MensagemAssunto: Re: ZEUS CHAPTER 12: Dragões, Invadam os Céus do Infinito!!!   Ter Jan 19, 2016 3:14 pm

Como sempre em cada capitulo fica mais emocionante
mas na minha opinião como falei no capitulo anterior esta faltando mais ação mais luta se bem me recordo no inicio pareceu ser mais duradoura as lutas o que agora apesar de os nosso inimigos nos deixarem qua.se a beira a morte  no final sempre nos levantamos e nesse exato momento elevamos nosso cosmo ao máximo e o derrotamos com 1 golpe apenas pois é neste sentido que me refiro que precisa e mais ação mais luta
mas gostei de ler
lembrando que gostei desta parte ( Hera atacou usando o leque místico; o objeto, se acertasse o oponente, manipularia-o cada vez mais, fazendo o alvo agir de acordo com as vontades da Deusa ) agora imaginem se quando chegarmos ate a hera e um de nos for manipulado pelo leque  imaginem lutar contra um dos nosso companheiro acho que seria interessante .  

depois tem uma coisa que me lembrei agora como eu tenho o ataque as 7 cabeças de hidra que me permite reviver por 7 vezes apenas o cavaleiro e fênix também pode renascer as cinzas da fênix acho que è isso nesse caso (........Fica o mistério ) hehehehe acho que ja dei uma boa ideia para o Daniel

e essa parte também como sempre ednael sempre com motivação para lutar e como se nao fosse ja o suficiente ainda tem que mandar as suas piadas para poder irritar o seu oponente kkkkk
e depois tem uma resposta destas (  — O que foi, dragão? Não consegue falar? As piadinhas acabaram? )
Voltar ao Topo Ir em baixo
Convidado
Convidado



MensagemAssunto: Re: ZEUS CHAPTER 12: Dragões, Invadam os Céus do Infinito!!!   Ter Jan 19, 2016 7:05 pm

Luís, se você for ler ou assistir CDZ, as lutas são quase sempre assim: o Seiya apanha, apanha, apanha, eleva o cosmo e vence. Não dá pra fugir muito disso. Mas não se preocupe, pois as lutas contra os Deuses do Olimpo serão mais longas. É porque você disse que faltou ação, mas acho que você se expressou mal, porque ação tem em todos os capítulos. Acho que você quis dizer que falta uma luta épica, sangrenta e longa. Os adversários vão aumentando o nível de exigência progressivamente. Contra os Cav. de Ouro Negros as lutas foram ganhas sem dificuldade. Agora, estamos tendo que controlar totalmente o 7° sentido pra vencer; mas contra os Deuses, será preciso um algo a mais.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Conteúdo patrocinado




MensagemAssunto: Re: ZEUS CHAPTER 12: Dragões, Invadam os Céus do Infinito!!!   

Voltar ao Topo Ir em baixo
 
ZEUS CHAPTER 12: Dragões, Invadam os Céus do Infinito!!!
Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo 
Página 1 de 1
 Tópicos similares
-
» Sangue de Dragão
» Paixão pela aviação..
» [Review] God of War III
» Feliz Aniversário, Marcos!!!
» [Geek Topic]Mitologia

Permissão deste fórum:Você não pode responder aos tópicos neste fórum
[R.I.P] Requiescant In Pace :: CDZ-
Ir para: