InícioRegistrar-seConectar-se

Compartilhe | 
 

 ZEUS CHAPTER 11: Kamui VS Kamui

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo 
AutorMensagem
Convidado
Convidado



MensagemAssunto: ZEUS CHAPTER 11: Kamui VS Kamui   Dom Dez 27, 2015 7:28 pm

ZEUS CHAPTER 11: Kamui VS Kamui




ABERTURA OFICIAL:




— Sejam bem-vindos, cavaleiros de Atena. Sou discípulo de Ares, o Deus da Guerra. Me chamo Molinór, de Marte! Cavaleiros, aqui será o túmulo de vocês.
— Maravilha. O calor infernal dos dois primeiros templos acabou de vez. — vibrou Daniel.
— Em compensação, no templo da Terra o clima era muito bom. Aqui faz um pouco frio — salientou Edu.
— Já entendi. As temperaturas dentro dos templos são semelhantes às de cada planeta. Ou seja: mais pra frente é possível que tenhamos ainda mais frio. Nesse caso, eu serei mais útil lutando nos templos mais adiante, não acham?
— Tem razão, Daniel. — concordou Edu. Nós sofreremos mais que vocês nos templos mais à frente.
— Então vão na frente, pessoal — disse Matheus. — O Mercúrio me deixou com gostinho de luta, mas acabei sendo vencido. Quero lutar sozinho aqui em Marte...
Os outros analisaram.
— Concordo, Matheus. Temos pouco tempo e Atena já está há algum tempo lá no Olimpo. Precisamos correr para salvá-la. Não adianta perdermos tempo juntos. Os cavaleiros da geração anterior lutaram várias batalhas sozinhos, nas doze casas. — Edu confiava na força do Pégaso.
O Planetário de Marte sorriu. Quando Daniel de Cisne e Eduardo de Lobo foram embora, rumo ao templo seguinte, ele permaneceu parado, sem oferecer resistência.
— Por que os deixou ir em paz, Marte?
— Hunf! Sou muito amigo do protetor do templo de Júpiter, que é o próximo. Não seria justo que eu matasse os três cavaleiros restantes, sem deixar nada para ele brincar. Pégaso, você sempre foi o cavaleiro mais próximo à Atena, desde a Mitologia. Vencer você é um grande troféu para mim! — Molinór estava muito confiante.
— Tu vai ver o que é bom pra ti! Eu, Matheus de Pégaso, acabarei com a sua vida. ME DÊ SUA FORÇA, PÉGASUUUUUUUUUS!
Mas Marte deixou que o impacto o atingisse, sem sequer se incomodar em se defender.
— É só isso? Cavaleiro, eu esperava mais de você. SOPRO BÉLICOOOOO!
Um sopro ardente empurrou Matheus pelos pilares, derrubando uns três. O golpe não foi mortal, mas o cavaleiro de bronze sentiu que o Planetário era tão ou mais forte que Mercúrio.



NAS ESCADARIAS MAIS ATRÁS

Seiya e os outros cavaleiros de ouro, assim como Shina e Marin, andavam calmamente pelas escadas, quase chegando no templo de Vênus. Juraram não interferir nas lutas dos cavaleiros da nova geração.
— Seiya, você tem tanta confiança assim nesses cavaleiros? — perguntou Hyoga, já retomando a consciência depois de usar seu cosmo para salvar os cavaleiros no templo de Mercúrio.
— Precisamos ter, Hyoga. Se esses cavaleiros não alcançarem o oitavo sentido agora, não chegarão vivos no Olimpo e não terão condições de nos ajudar nas lutas contra os Deuses. Eles precisam pôr as vidas no limite, como nós fizemos.
Hyoga ficou em silêncio. Queria que seu amigo estivesse certo.



A CAMINHO DO TEMPLO DE JÚPITER

— Daniel, você faz questão de lutar lá em Júpiter?
— Acho que os templos posteriores serão ainda melhores para lutar. Você pode lutar em Júpiter, Edu.
— Ótimo! Estou louco para socar um Planetário!
Correram a toda velocidade e então vislumbraram adiante:



MATHEUS VS MOLINÓR

— Meteoro de Pégasuuuuuuuuuuuus!
Mas o resultado foi igual.
— Eu já disse que seus meteoros são inúteis contra mim, não disse? Estou um nível acima dos Planetários que vocês venceram.
— Não me interessa! Bah, tu fala demais! Nós, cavaleiros, somos órfãos desde que nascemos. Não soubemos o que é ter facilidades nessa vida, então, desde cedo, aprendemos a superar as adversidades. Molinór, por que eu me deteria contra alguém como você?
O cosmo de Matheus ascendeu em um nível espetacular. As dificuldades não importavam; ele queria apenas vencer todos os seus inimigos.
— TURBILHÃO DE PÉGASUUUUUUUUUS!
— Mas, mas o que é is- — mas antes que pudesse terminar a frase, Matheus o agarrou e juntos voaram pelo espaço sideral, quebrando o teto do templo de Marte.

Molinór não esperava que o cosmo de um cavaleiro de bronze pudesse aumentar tanto em tão pouco tempo. Quando caíram, Matheus estava de pé enquanto o corpo de Marte sofreu todo o impacto, ficando preso entre o concreto que se partiu com o golpe.



TEMPLO DE JÚPITER

— Eu sou Croto de Júpiter, o Planetário treinado pelo grande Zeus.
Naquele momento, Eduardo chegou a gelar na espinha. Aquele oponente parecia ter sido o pior a se escolher.
— Edu, espero que possamos nos ver no portal rumo ao Olimpo! — disse Daniel, correndo.
— Eu liquidarei esse Planetário e me juntarei a você. — Edu assumiu postura de combate.
— Ahahahahaha! Lixo... Um lixo fugindo para não me enfrentar e outro lixo ficando, com um discursinho comovente. Seu idiota... O meu poder está além da imaginação de um inseto como você.
— Cale a bocaaaaa! UIVO MORTAAAAL!
Sem paciência, aquele homem chamado Croto contra-atacou instantaneamente, dizimando o fraco Uivo Mortal e dilacerando o capacete do lobo.



MARTE

Depois de alguns minutos, finalmente Marte despertou. Irritado, ele fuzilou Matheus, que lhe mostrava o dedo do meio, obscenamente.
— Seu... DESGRAÇADOOOOOOOOOO! — assim como seu mestre Ares, que era o Deus da Guerra, considerado o mais cruel entre os Olimpianos, Molinór fez brotar um ódio genuíno.
Aquele cosmo podia ser sentido mesmo no templo de Vênus, onde os cavaleiros de ouro acabavam de entrar, ou no de Júpiter, onde Eduardo lutava contra Croto.
— Mas que porra de cosmo é esse?
— Tarde demais para me temer!!! LABAREDAS NUCLEAAAARES! —

Chamas devastadoramente rápidas e muito quentes atravessaram o corpo do Pégaso, que caiu quase morto.



JÚPITER

— Não acha que vai me vencer com esse tal uivo, não é?
— Não... O Uivo Mortal foi um golpe que aprendi com o meu falecido mestre, mas até hoje ele nunca funcionou. Eu mesmo precisei desenvolver meu golpe. Você quer vê-lo?
— Hmmm. Interessante. Um autodidata. Ótimo! Mostre-me o que sabe, lobinho patético...
Eduardo ascendeu o seu cosmo. Logo veria aquele sorriso na face de Júpiter sumir.
— PATADA DO EXTERMÍNIOOOOOOO!
Croto, daquela vez, foi sendo afastado para trás com o impacto. Precisou de muita força para desviar o golpe do lobo para longe.
— É, você tinha razão. É um belo golpe. Mas não contra mim...
— Como assim? Ele defendeu o meu melhor golpe apenas com as mãos.
— Como se isso fosse trabalho para alguém treinado pelo Deus dos Deuses. Você merece ser estraçalhado pelos meus raios mortais. Mestre, aniquilarei um dos cavaleiros da desertora Atena. Aaaaaah!
O lobo se preparou.
— RELÂMPAGO DE PLASMAAAAA!!!!!
Antes de cair praticamente morto no chão, coube a Edu uma grande surpresa. Aquele golpe...


OLIMPO

— Atena, não me agrada a ideia de aniquilar a minha enteada. Mas meu marido já percebeu que você adora uma guerra, assim como o meu filho Ares. Você apenas não aceita esse fato, e ainda defende reles humanos. Meu filho sempre foi preterido pelo meu marido, que preferia mimar a filhinha, Deusa da Sabedoria. Mas ao passar dos séculos, ele viu você enfrentar os irmãos deles várias vezes. Será que precisarei matá-la, querida Atena?
Mas a Deusa não estava prestando atenção no que dizia a madrasta.
São os cosmos do Matheus e do Edu... Eles estão quase sumindo.
O cosmo da Deusa se elevou; Hera achou que aquilo significava que ela havia aceitado o seu desafio, mas sua mente conversava com os cosmos de seus protegidos:
Matheus... Edu... Levantem-se daí. Não se deem por vencido até que tenhamos nos encontrado com o meu pai, para pormos um fim definitivo a todas essas guerras. Ascendam os seus cosmos, meus cavaleiros”.


— E-essa voz... Ela é... — Matheus podia ouvi-la. Atena! Estava falando diretamente com o seu cosmo. Não podia se dar por vencido.
No templo de Júpiter, Eduardo também podia ouvir aquela voz doce, porém firme da Deusa.
— ATENAAAAAAAAAAAA! — os dois, juntos, inflamaram os seus cosmos nos limites máximos.
Trilha Sonora:


TEMPLO DE VÊNUS

Marin, ao sentir o incrível cosmo de Matheus se elevar daquela maneira, ficou abismada com a força que ele pôde alcançar. Assim como os outros cavaleiros ficaram ao perceber que o cosmo de Eduardo de Lobo era igualmente incrível.



TEMPLO DE MERCÚRIO

Ezequiel e Lukas haviam se recuperado da luta contra Ayros e seguiam para o templo seguinte.



TEMPLO DE MARTE

— Mas como é possível que você ainda esteja vivo, Pégaso?
— Molinór, nós somos criados tendo a esperança como nossa força motriz. Vocês, que lutam apenas pelos próprios propósitos egoístas, jamais entenderão! — ME DÊ SUA FORÇA, PÉGASUUUUUUUUUUUS!!!!!!
Se antes Molinór fez pouco caso da força de Matheus, agora, com o cosmo do Pégaso alcançando o máximo, o Planetário foi devastado pelos milhares de meteoros que perfuraram a sua armadura.
— V-você... é incrív... Pég... — e morreu.
— E tu não era tão forte assim... — E Matheus saiu correndo, rumo ao templo de Júpiter.




Croto, que até agora dominava completamente a luta, sentiu pela primeira vez um cosmo que o fez sentir-se ameaçado.
— Miserável! Vou sepultar você de uma vez por todas. CÁPSULA DO PODEEEEER!!!!
— PATADA DO EXTERMÍNIOOOOOOOOOO!!!
O choque dos poderes, inicialmente, foi equilibrado. Mas com a explosão final de seu cosmo, Eduardo conseguiu tomar a vantagem e atingiu o guardião de Júpiter em cheio. Croto despencou, quebrando quase toda a sua armadura. Já Edu saiu praticamente ileso.
— Só me diga uma coisa antes de morrer...
— O-o que você quer?
— Por que você copia os golpes dos cavaleiros de ouro de leão?
— Ahahaha! — mesmo às portas da morte, Croto ainda conseguiu rir, mesmo cuspindo sangue.
— Qual é a graça, fracassado?
— Assim como você, já fui um terráqueo comum... Lutei há quatrocentos anos ao lado de Atena, de Hakurei e de Sage, de Gêmeos, contra Hades e seus espectros. Na época, eu era o cavaleiro de leão...
— E o que aconteceu?
— Tive uma luta mortal contra o Deus Hypnos e acabei o derrotando. Acontece que fui abandonado no campo de batalha e quase morri, me esvaindo em sangue. Foi então que o grande Zeus me salvou da morte certa... Enquanto Atena e meus companheiros simplesmente continuaram a lutar sem se preocupar comigo e com meus amigos mortos em combate. Mais tarde ainda descobri que Hypnos ainda estava vivo...

— Por que Zeus salvou você?
— Ele me viu lutar e se sentiu comovido pelo meu espírito de luta, que me levou a ganhar de um Deus como Hypnos. — Croto cuspiu sangue novamente. — Recuperado, fui treinado por ele no Olimpo e jurei fidelidade ao meu grande senhor. Ele me ensinou a usar golpes com o elemento raio. Aperfeiçoei minhas técnicas e criei o Relâmpago de Plasma e o Cápsula do Poder.
Eduardo ficou perplexo ao ouvir aquilo.
— Na época, pouco antes da guerra santa, tive que abandonar meu filho pequeno, Ilías, em um vilarejo. Meu senhor Zeus foi uma vez mais benevolente, e quando ele atingiu sua maturidade, eu o treinei espiritualmente, através da conexão dos nossos cosmos, e o ensinei o Cápsula do Poder e o Relâmpago de Plasma. Não é à toa que Ilías passou toda a vida na floresta, convivendo com a natureza. Eu o ensinei a ser assim. Pouco depois, soube que Ilíada liderou a geração posterior de cavaleiros, se tornando o primeiro cavaleiro de leão a usar esses golpes.
— Impressionante, Croto. Foi bom ter lutado contra você. — Mas Croto, que acabara de morrer, já não podia mais ouvi-lo. — Mestre Nachi, você era um fracote, mas ainda consigo senti-lo lutando ao meu lado. Obrigado por permanecer acompanhando os meus passos...



OLIMPO

— Atena, sua apatia está me irritando!
— Desculpe, Hera.
— Você estava ajudando os seus cavaleiros, não é? Acha que me engana? Seu cinismo é um desrespeito aos Deuses do Olimpo. Atena, não há outro jeito: vou exterminá-la aqui mesmo. Você será capaz de ressuscitar em algumas centenas de anos, e poderá usar esse tempo para refletir.
— Hera, você tem certeza de que precisa chegar a tanto? Vim aqui ver o meu pai para pôr um fim a tantas guerras sem sentido. Não quero mais mortes inúteis.
— Seu pai já cansou de tentar dialogar com você, pequena Atena. Morraaaa!
Uma grande explosão ecoou em todo o Olimpo. Quando finalmente Atena foi capaz de enxergar, viu Hera trajando sua kamui.

— Se é só nessa solução que você pensa, Hera... — o cosmo de Atena também aumentou brutalmente.

O derradeiro confronto entre as duas deusas iria finalmente começar.





CONTINUA...


Números da Semana: 12 39 17 30 28
Voltar ao Topo Ir em baixo
Eduardo
Admin
avatar

Mensagens : 483
Data de inscrição : 17/10/2012
Idade : 27
Localização : Santa Maria - RS

MensagemAssunto: Re: ZEUS CHAPTER 11: Kamui VS Kamui   Dom Jan 10, 2016 5:12 pm

Melhor capítulo até agora. Me arrepiei 4x conforme lia a história ouvindo a música(do meio da história).
Parabéns Daniel! Ficou top mesmo. cheers cheers cheers cheers cheers cheers cheers cheers

_________________

Eduardo, Administrador do Fórum de Jogos [R.I.P]
Voltar ao Topo Ir em baixo
http://requiescantinpace.forumeiros.com
Wander

avatar

Mensagens : 278
Data de inscrição : 23/08/2015
Idade : 28
Localização : Itabaiana/Sergipe

MensagemAssunto: Re: ZEUS CHAPTER 11: Kamui VS Kamui   Dom Jan 10, 2016 6:39 pm

Sensacional, muito bom, cada dia superando mais... Avante cavaleiros da esperança kkk
Voltar ao Topo Ir em baixo
Convidado
Convidado



MensagemAssunto: Re: ZEUS CHAPTER 11: Kamui VS Kamui   Dom Jan 10, 2016 6:53 pm

Acho que o capítulo 12, daqui a duas semanas, tende a ser o melhor desse arco.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Convidado
Convidado



MensagemAssunto: Re: ZEUS CHAPTER 11: Kamui VS Kamui   Dom Jan 10, 2016 8:56 pm

foi bem comprido esta historia
mas na minha opinião gostei mais da anterior nao por ter sido um capitulo onde eu seria o membro principal da historia mas porque achei mais comovente e um pouco mais de ação mas também gostei de ler esta aqui fiquei um pouco confuso na parte que eles falam onde ele aprendeu a usar o golpe do leão e falou que tinha sido disciplino ou tinha lutado nas batalhas anteriores com seu mestre ou o ele o ensinou algo assim mas também rir bastante na parte em que alguém mostra o dedo do meio nao lembro agora o nome mas ri pra valer
foi interessante ler mas sei que estivemos de ferias e então sei que seria bem grande este capitulo o que nao devo ter lido com 100 por cento de atenção peço desculpas por isso mas acho que seria mais fácil de nao ser assim tão grande mas mais uma vez adorei ler mas so para confirmar e avaliar de novo irei ler de novo para ter certeza que nao perdi nenhuma parte da historia .
Voltar ao Topo Ir em baixo
Convidado
Convidado



MensagemAssunto: Re: ZEUS CHAPTER 11: Kamui VS Kamui   Seg Jan 11, 2016 12:29 am

Ficou show, como sempre as meninas se superando na beleza, será que haverá a luta das titãs??? E foi quase a partida de Edu girafa e Matheus... kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
Aguardando o próximo capítulo.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Convidado
Convidado



MensagemAssunto: cap 11   Seg Jan 11, 2016 10:03 am

Muito bom como sempre o capitulo, Daniel sempre se superando..

Mas queria com muita tristeza anunciar que vou começar, continuar
com meus estudos e como não tenho um historico bom ja abandonei
2 cursos quero ficar 100% focado mas aos finais de semana sempre
irei acompanhando e se precisarem de alguma coisa podem me chamar
abraços a todos ..
Voltar ao Topo Ir em baixo
Convidado
Convidado



MensagemAssunto: Re: ZEUS CHAPTER 11: Kamui VS Kamui   Seg Jan 11, 2016 10:40 am

Ficou top gurizada, a trilha sonora ficou show, também me senti na pele dos personagens e cheguei a me arrepiar, hahaha, os episódios só melhoram...
Obs: foto do edu hahahahaha
Voltar ao Topo Ir em baixo
Conteúdo patrocinado




MensagemAssunto: Re: ZEUS CHAPTER 11: Kamui VS Kamui   

Voltar ao Topo Ir em baixo
 
ZEUS CHAPTER 11: Kamui VS Kamui
Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo 
Página 1 de 1
 Tópicos similares
-
» [Review] God of War III
» [Geek Topic]Mitologia
» Charada Sony - Qual é o nome do jogo?
» Million Page

Permissão deste fórum:Você não pode responder aos tópicos neste fórum
[R.I.P] Requiescant In Pace :: CDZ-
Ir para: